Página 10 - Turcaça 33

Versão HTML básica

10
NOTÍCIAS
A mancha de Rebordãos, aldeia às portas de
Bragança e que tem na serra da Nogueira a sua
jóia da coroa, vol tou a ser generosa para a
organização e monteiros que marcaram presença
na montaria de 23 de Fevereiro, ou seja, quase
no fecho da campanha.
Mais de 100 portas, uma jornada excelente, num
dia sem chuva, e oito javalis cobrados. Entre eles,
um navalheiro bonito e com uma boca digna de
f igurar num salão de troféus de caça maior.
A façanha do abate pertenceu a um filho da terra,
Fernando Benites, que, com um tiro certeiro da
sua Browning 300WM, pôs termo à vida do
“bicho”, com o qual, segundo ele, já travara duelos
anter iores, durante o per íodo das esperas.
Enfim, o tal caso em que, como diz a sabedoria
popular, “guardado está o bocado para quem o
há-de comer”. Coisas do destino e do fado…
Momentos monteiros
O navalheiro de Rebordãos
A montaria de Vila de Peregrinos,
Vinhais, que teve lugar no dia 19
de Janeiro, num fim-de-semana
de mau tempo, com muita chuva
e vento, quase de Norte a Sul do
país, foi uma daquelas que caiu
na agenda por obra e graça do
Espírito Santo, que é como quem
diz, para não fazer a desfeita a
gente amiga e que merece, pois,
toda a consideração.
A noite foi medonha, de chuva e
vento, mas o dia acabou por não
ser tão mau quanto se previa,
ainda que, evidentemente, a exigir
sac r i f í c i os a mon t e i ros e
matilheiros. Enfim, uma montaria
para gente com barba r i ja.
Ao grupo de Bragança, tocaram
as portas de fecho da mancha. E
a armada não deixou créditos por
mãos alheias – despachou quatro
bichos. À junta de carnes,
chegaram mais três, um deles
agarrado pelos cães.
O amigo Alof, neófito caçador,
logrou o primeiro abate oficial da
carreira (…) – a maior porca da
montaria – e a fotografia captada,
pouco depois, pelo Antero
dispensa comentários. Um sorriso
de orelha a orelha.
Mas as boas novas não tinham
terminado. Na hora do repasto, a
organização tomou a decisão de
devolver o valor da inscrição aos
“matadores”, num gesto invulgar
por estas paragens e que deixou
os heróis da jornada satisfeitos e
de barriga cheia. Pudera. Ganhara-
se para pagar os cafés e os
uísques…
Enfim, uma atitude bonita e de
reconhecimento para com quem
ajudou à festa, já que os “bichos”
são leiloados e geram receita. Uma
moda que podia pegar…
www.shf.com.pt