Página 24 - Turcaça 33

Versão HTML básica

ntegrada na Feira de Caça,
Pesca e Desenvolvimento
do concelho de Almeida, a
montaria de Nave de Haver, com
um lugar de eleição entre as
melhores do país, voltou a ser um
êxito cinegético e social. As mais
de 100 portas – 111 em rigor -, que
contaram com o trabalho e a
coragem de 10 matilhas, cobraram
40 javalis. Um arraial de tiros, lances
e momentos inolvidáveis – um
monteiro abateu sete porcos! – e a
vontade de querer regressar para
o ano. Tem sido assim, época após
época. Invariavelmente.
O dia 2 de Fevereiro nasceu frio, é
verdade, mas as emoções fizeram
subir o mercúrio do termómetro. A
concentração estava agendada para
a sede da Associação Recreativa,
Cultural e Social de Nave de Haver.
As caras que vão chegando são,
maioritariamente, conhecidas e os
o r gan i zado r es e os seus
colaboradores também sabem de
cor as tarefas a cumprir para que a
jornada seja de excelência.
Com o mata-bi cho tomado,
desfrutando das iguarias da mesa
beirã, o sorteio das portas teve lugar
por volta das 11 horas. Alguns
conselhos de segurança foram
também transmitidos, antes da
partida das sete armadas para a
mancha a montear. As matilhas,
essas, dez no total, saíram pouco
depois.
Rapidamente, monteiros colocados
e matilhas em posição de “varrer”
o monte. Soa o foguete, sinal de
início das hostilidades. As ladras
são constantes e os tiros mais do
que muitos, incontáveis. Como era
expectável, graças ao bom trabalho
de casa feito a tempo e horas, a
CAÇA MAIOR
24
Montaria de Nave de Haver
Uma festa de arromba e… 40 javalis!