Página 66 - Turcaça 33

Versão HTML básica

onge vão os tempos em
que t e rmi navam as
caçadas às perdizes e
arrumávamos o nosso ou os nossos
cães em casa até à próxima época,
que, para alguns, começa com a
abertura às codornizes.
A caça em Por tugal está a
atravessar, à semelhança de tantas
o u t r a s a c t i v i d a d e s , uma
transformação que em alguns
pontos me parecia inevitável, e
noutros existe a tal filtragem que já
há muito deveria ter acontecido.
No entanto, e apesar de todas essas
transformações e alterações, nunca
conseguirão tirar a paixão da caça
aos mais aficionados. Está aí o
período chamado de defeso e com
isso podemos dedicar parte desse
tempo ao nosso companheiro de
caça, o cão.
Para alguns apaixonados da caça
aos coelhos e atendendo à sua
quase inexistência em alguns
ter r i tór ios do nosso pais, a
alternativa encontrada foi a de
adquirir um cão de parar (para
muitos, e na gíria, um perdigueiro)
e com isso ter acesso a jornadas
de caça, durante todo o ano em
algumas zonas pela existência de
campos de treino.
Não me parece nada mal, antes
pelo contrário, se é o que temos
hipótese, por que não?
Temos é de a r r an j a r um
companheiro (cão de parar) que nos
ajude a encontrar as perdizes.
Postas de manhã, como devem
imaginar, essas perdizes, que
nasceram em cativeiro e são
largadas num terreno que não
conhecem, dão em andar e algumas
delas são encontradas a quilómetros
do local que as soltaram! Como em
tudo na vida, há que ter astúcia e
66
CÃES DE CAÇA
O que fazer durante o defeso ?
continua