Página 72 - Turcaça 33

Versão HTML básica

72
FEIRAS / EVENTOS
na ocas i ão , a governan t e .
O autarca anfitrião, Beraldino Pinto,
sublinhou a importância do certame
para a afirmação do concelho e da
região no panorama nacional:
“Esta feira é muito importante. É
uma grande feira de turismo, de
caça e uma oportunidade de
negócio para os produtos locais. É
uma grande montra de produtos,
des i gnadamen t e o f ume i r o
transmontano, o queijo, o vinho, o
azei te e tantos out ros aqui
presentes.”
Em termos de caça, Castanheira
Pinto, da FACIRC, e Álvaro Amaro,
o novo presidente da Confederação
Na c i o n a l d o s Ca ç a d o r e s
Portugueses (CNCP), foram críticos
quanto à falta de apoios da Tutela,
a condicionar a evolução do sector
no pós-ordenamento do território
nacional.
Actividades cinegéticas
Em t ermos de ac t i v i dades
cinegéticas, um programa vasto,
como sempre, mas onde foi
subtraída, quase à última hora, uma
montaria, a de domingo, agendada
para a ZCM de Vi lar inho de
Agrochão. Em plena época
(mon t e i ra , en t enda- se) , as
montarias são um dos cartazes da
feira de Macedo de Cavaleiros, pelo
que a anulação de uma jornada foi
duro golpe na organização.
Face ao cancelamento da montaria
de Vi lar inho de Agrochão, a
organização viu-se com “portas a
mais” para colocar em Talhas, o que
acaba sempre por gerar problemas
de ordem logística – marcação de
mais portas; colocação de armadas;
insuficiência de matilhas (?) face ao
aumento da mancha; etc. E, para
agravar a situação, o resultado da
montaria ficou muito aquém do
esperado, com um quadro de caça
muito reduzido face ao elevado
número de monteiros presentes.
Uma situação a rever na próxima
edição. Os amantes dos cães de
parar disputaram uma prova de
Santo Huberto, denominada de VII
Prémio Galaico-Português, sempre
muito participada e competitiva.
Na arte de caçar com aves de
rapina, realizou-se também a VII
Copa Ibérica de Cetraria, outra
actividade campestre que faz as
de l í c i as de concor rentes e
espectadores.
E negócios
A chuva e o mau tempo que
marcaram os dias de feira não
afastaram os visitantes e o negócio
foi cor rendo, provavelmente
bafejando mais uns do que outros.
“Bastante gente mas menos
pessoas a comprar”, eis, em síntese,
a op i n i ão genera l i zada de
expositores, mas considerando,
apesar de tudo, “boa a montra”
macedense.
No tocante a armeiros, e para além
d a p r e s e n ç a d o g r u p o
SHF/Spor t rofa, o único com
c redenc i a i s de impor tador,
marcaram terreno, também, a
TroviSport, esta a jogar em casa, e
a ValbomCaça, de Mirandela. Uma
presença obrigatória e que serve,
no fundo, para estreitar a relação
com mui tos cl ientes e caras
conhecidas. Lá diz o ditado: quem
não aparece… esquece!
ValbomSport
TroviSport
a jogar em casa
Álvaro Amaro presidente da CNCP