Página 16 - Turcaça 34 digital

Versão HTML básica

CAÇA MAIOR
16
ecorreu, no Parque de
Natureza de Noudar, em
Barrancos, entre 20 e 21
de setembro último (2013), a IV
Reunião de Ungulados Silvestres
Ibéricos, que contou com a presença
de cerca de 50 part icipantes
provenientes dos dois países
ibéricos. Este ano, o tema desta
reunião foi “Os ungulados, os seus
predadores e o Homem” e as
sessões de trabalho centraram-se
nos temas “Pato l og i as dos
ungulados silvestres” e “Ungulados
como presas – caça e conservação”.
As principais conclusões foram as
seguintes:
A existência de programas eficazes
de vigilância epidemiológica das
doenças de ungulados silvestres e
domésticos tem uma justificação
principal no âmbito da saúde
pública, mas encontra também
utilidades muito importantes no
âmb i t o da e c onom i a da s
explorações pecuárias e cinegéticas
e no âmbito da conservação da
natureza.
Os programas de vigi lância
epidemiológica das doenças da
fauna silvestre fornecem informação
necessária à gestão adaptativa das
explorações agrícolas e cinegéticas,
determinando necessidades de
intervenção nos métodos de
maneio, nas populações e nos
habitats.
É com o maior interesse que vimos
expressar por parte da autoridade
competente Portuguesa (Direção
Geral de Alimentação e Veterinária)
a intenção em implementar uma
rede de epidemovigi lância de
doenças das espécies de animais
silvestres em Portugal, tal como já
existe em Espanha.
A disponibilização de apoio público,
Teve lugar em Barrancos, em Setembro
IV Reunião de Ungulados Silvestres Ibéricos
Pedro Melo
*,
Margarida Ramada
*,
Carlos Rio Carvalho
**;
Jamilia Machado
*** e
Carlos Fonseca
****
*VETNATURA, Lisboa, **ERENA, Lisboa, *** Associação IBERLINX, ****UNIVERSIDADE DE AVEIRO