Página 11 - Turcaça 35 digital

Versão HTML básica

11
CAÇA MAIOR
gente! O estender de redes
consome tempo e bater 35 hectares,
o espaço físico do laboratório natural
de Gri jó/Vi lar do Monte, leva
igualmente o relógio a acelerar,
exigindo também uma linha de
batedores correctamente colocada
e sincronizada. Em tempo de dias
curtos, a acção resumiu-se a duas
batidas e, naturalmente, o almoço
foi transferido para a hora da
merenda, já o sol se tinha posto e
o estômago reclamava há muito por
conforto.
Mesmo assim, a linha de batedores
empurrou sete corços até às redes,
mas, face à escassez de mão-de-
obra, apenas dois foram capturados,
um em cada batida. Quando o
cervídeo se esbarra com a rede, é
preciso agir rapidamente, caso
contrário o corço recupera do
impacto e do susto e põe-se
rapidamente em fuga.
CERCADO QUASE NO LIMITE
Os capturados foram dois animais
novos – uma fêmea e um macho,
ambos nascidos em 2013 no final
da última Primavera, o período em
que se dão as parições. “Bichos”,
esses, conhecidos e seguidos
graças às câmeras de vídeo
instaladas em vários pontos-chave
do cercado e que permi t iram
constatar o nascimento de quatro
crias, paridas por duas fêmeas
adultas em igual número (2+2,
entenda-se), em Maio último, os
quais elevaram para 11 os corços
existentes no cercado.
Após a captura, os jovens corços
foram identificados – com brinco
(orelha) e chip, processo de
identificação electrónica (igual aos
Bom disposição antes da acção de trabalho