Página 12 - Turcaça 35 digital

Versão HTML básica

CAÇA MAIOR
12
dos cães). Foram também pesados
– peso idêntico, a rondar os 18 kg.
O chip é garantia perpétua, pois o
brinco pode cair por razões diversas.
Era ainda propósito recolher sangue
dos animais para análises, mas o
“stress” após a captura impediu a
recolha. O professor José Almeida
não quis, compreensivelmente,
torturar os pequenos corços. Ficará,
p o i s , pa r a uma s e g u n d a
oportunidade.
Com estas duas capturas, são agora
três os animais identificados no
ce r cado de Gr i j ó , j á que
recentemente tinha sido identificada
uma corça que entrara na manga
de captura e foi marcada antes de
ser introduzida no “laboratório”.
A identificação dos animais é vista
como essencial para determinar
procedimentos futuros relativamente
ao cercado. A libertar animais para
outras zonas, por exemplo, os mais
jovens serão os primeiros, evitando
a s s i m o p r o b l e m a d a
consanguinidade dentro do espaço
vedado. E mesmo mudando de
ares, não deixam de ter a sua
identificação, conhecendo-se a
origem e o seu passado. A tarefa,
quase her cú l ea , va i , po i s ,
prosseguir.
CAÇA, O PASSO SEGUINTE
A caça ao corço na ZC Associativa
de Grijó/Vilar do Monte será o
próximo passo e o mais natural face
ao t rabalho que vem sendo
desenvolvido. O cercado tem
autorização prevista para 12 bichos
e está, pois, prestes a atingir o seu
limite. A zona de caça envolvente
tem, evidentemente, mais animais
e há sempre a hipótese de transferir
alguns do cercado para a área livre,
permitindo assim a caça sustentável
à espécie, pelo método de
aproximação, o de excelência para
o mais pequeno dos cervídeos
ibéricos, e de forma muito controlada
– dois machos por época, por
exemplo. Uma forma de rentabilizar
o projecto e de agradar aos sócios
da zona de caça. Um passo de cada
vez.
A curto prazo, é intenção da ZCA
de Grijó/Vilar do Monte avançar com
a l impeza de cami nhos e
desmatação de algumas áreas do
cercado, em parcer ia com a
autarquia de Macedo de Cavaleiros
e a junta de freguesia.
A.P.
(texto e fotos) e
André Chaves
(fotos)
Colocação das redes para captura dos
corços, com o objectivo de os
identificar - brnco e chip
A beleza da Serra de Bornes – o palanque é espaço privilegiado para a
observação da caça maior