Página 39 - Turcaça 36 digital

Versão HTML básica

39
CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
Cinegéticas
menta a conservação da Natureza
As lagoas do EVOA já tiveram 12000
marrequinhas
temos que separar estas espécies
em dois grupos: - residentes e
migradoras. Nas residentes, temos
o Pato-real, a Galinha-d’água e o
Galeirão, e da bacia do Rio Tejo
para Sul também temos de contar
com a Frisada (nalguns locais mais
restritos também com alguns Zarros-
comuns e Patos-trombeteiros), que
se reproduzem em Portugal. Nas
migradoras, temos as restantes
espécies que vêm passar o
Ou t ono / I nve r no en t r e nós ,
reproduzindo-se no Norte da
Europa. Se para estas últimas as
zonas de refúgio poderão ser
apenas importantes durante o
Outono/Inverno, para as residentes
a sua importância é alargada a todo
ano.
O exemp l o da Qu i n t a do
Canal/Ínsua ilustra também outro
factor l imi tante para as aves
aquáticas em Portugal: – falta de
hab i ta t pa r a n i d i f i cação e
especialmente para o crescimento
dos juvenis. A Ínsua era constituída
por pisciculturas extensivas, com
pouca perturbação humana e com
uma densidade de nidificação de
Pato-real muito elevada. Estas
pisciculturas extensivas têm muita
vegetação submersa, logo também
t êm mu i t o s i n v e r t eb r ado s
associados. Estes invertebrados
são a base da alimentação dos
juvenis destas aves aquáticas, pois
são ricos em proteínas necessárias
para o seu crescimento. No entanto,
desde o fim da década de 80 (século
passado ) , as p i sc i cu l t u r as
extensivas foram destruídas em
grande parte da sua área, para a
const rução de pi sc i cul turas
intensivas, que não tem qualquer
utilização para estas aves aquáticas.
Assim, as zonas de refúgio também
deverão ser geridas como habitat
de reprodução para as aves
aquáticas. O ordenamento destas
áreas deve assegurar a existência
de ilhas (para minimizar a predação
de ninhos pelos predadores
terrestres), e assegurar a existência
de vegetação aquática nas margens
(em cerca de 40% da área total),
para possibilitar a construção de
ninhos mas também para as crias
se poderem esconder dos
predadores. Hoje em dia, muitos
caçadores falam na predação dos
juvenis de aves aquáticas por
garças e cegonhas, pelo que a
solução é criar e gerir da melhor
forma o habitat de reprodução para
as aves aquáticas cinegéticas: -