Página 43 - Turcaça 36 digital

Versão HTML básica

desperdícios alimentares que
encontram nos aterros sanitários;
Distribuição:
mais abundante no
sul, sendo particularmente
abundante na bacia do Tejo e no
Alentejo. Até há poucos anos era
dada como desaparecida do Minho,
tendo-se observado mais
recentemente o seu regresso;
Estimativa da população:
em
2004, o último censo contabilizou
7684 ninhos de cegonha em
Portugal
Curiosidades:
- Pertence, juntamente com as
garças, colhereiros e íbis à ordem
dos Ciconiiformes.
- A sua congénere mais próxima, a
cegonha-preta, Ciconia nigra, é
muito mais rara e evita a presença
humana;
- Em Portugal a sua dieta “natural”
inclui uma grande quantidade de
invertebrados como o lagostim-da-
louisiana, uma espécie invasora que
causou grandes prejuízos nos
arrozais, e gafanhotos, sendo
portanto um auxiliar no controlo de
pragas agrícolas;
- Nidifica desde o norte da Europa,
exceto Escandinávia e Ilhas
Britânicas, até ao Sul, incluindo a
Ásia menor e migra no outono para
o sul do Sara, até à África tropical;
- Forma casais monógamos que
mantêm o mesmo ninho ano após
ano, compondo e aumentado o
ninho em cada ano, podendo este
atingir 800 kg de peso e 225 cm de
diâmetro;
- Apresenta, na costa alentejana, a
única população a nidificar em
rochedos costeiros, no mundo;
O seu som mais conhecido não é
o piar, mas sim o caraterístico bater
do bico, que frequentemente fazem
quando estão no ninho.
43
CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
Donativo simbólico ajuda a chegar a mais
escolas no Alentejo
Este ano terá também a possibilidade de apoiar a SPEA a desenvolver
atividades de educação ambiental alusivas à cegonha-branca no Alentejo
ao ligar o 760 455 155 (0,60€ + IVA por chamada).
Saiba mais em
www.spea.pt