Página 44 - Turcaça 36 digital

Versão HTML básica

as diferentes doenças que
podem afectar os cães de
caça pela sua exposição
mais fácil a determinados agentes
patogénicos ou pelo facto do seu
maneio ser mais predisponente à
ocorrência de certas patologias,
destacamos da nossa experiência
cl ínica as seguintes doenças
endémi cas que ocor rem no
Nordeste Transmontano:
•
Doenças transmitidas por
vectores
• Leishmaniose Canina
• Babesiose Canina
• Telaziose
Outras doenças endémicas:
• Equinococose/Hidatidose
• Tumor Venéreo Transmissível (
Sarcoma de Sticker)
1. Leishmaniose Canina
A leishmaniose canina causada por
Leishmania infantum
é uma doença
parasitária há muito referenciada
em toda a bacia mediterrânica.
Diferentes estudos efetuados em
Portugal indicam prevalências de
10 a 20 % nos cães. Embora em
todas as regiões esteja registada a
ocorrência da doença, a zona do
Al to Douro é habi tualmente
referenciada nestes estudos com
taxas de prevalência elevadas.
Cardoso et al.
, refere em alguns
concelhos desta região prevalências
de cerca de 20%.
É uma doença crónica, cujos
sintomas são muito variáveis. As
lesões da pele são muito frequentes,
com perdas de pelo (alopécias) e
descamação que se inicia na
cabeça e posteriormente se estende
ao resto do corpo. Outros sintomas
podem ser observados nos cães:
perda progressiva de peso;
hipertrofia dos gânglios; atrofia
muscular; crescimento exagerado
das unhas, entre outros. Em fases
mais avançadas, os cães podem
desenvolver insuficiência renal
crónica e o seu estado geral pode
definhar rapidamente até à morte.
Estudos clínicos que realizamos no
Nordeste Transmontano concluíram
que há uma aparente maior
susceptibilidade de algumas raças,
pa r t i cu l a rmen t e nas r aças
Doberman (29%), Samoyedo (29%),
Epagneul Breton (23%) e Boxer
( 19%) . Os cães de r aça
indeterminada, não obstante
constituírem o maior número de
cães observados, representam uma
percentagem comparativamente
reduzida ( 2% )
Babesiose Canina
A babesiose canina é uma doença
provocada por protozoários do
género
Babesia
, que parasitam os
glóbulos vermelhos (eritrócitos).
No Nordeste Transmontano, a
babesiose canina provocada pela
subespécie
Babesia canis canis
é
a mais comum e tem como vector
habitual a carraça
Dermacentor
reticulatus,
apresentando uma
virulência moderada.
No quadro s i n t oma t o l óg i co
destacam-se: letargia, febre, urinas
avermelhadas, perda de apetite e
icterícia.
Nos estudos realizados, concluímos
que o período de maior risco para
babesiose canina, no Nordeste
44
VETERINÁRIA
Doenças em cães de caça
Estudos clínicos
no Nordeste Transmontano
(
resumo de comunicação apresentada no âmbito do XXVIII Encontro Venatório do Nordeste Transmontano
,
realizado nos dias 18/19 de Janeiro, em Murça
)
Duarte Diz Lopes
, médico veterinário Vetsantiago, Bragança
Babesiose
Carraças