Página 11 - Turcaça 37 digital

Versão HTML básica

11
NOTÍCIAS
O
Clube Português de Monteiros entregou em
jantar promovido para o efeito, que teve lugar no
salão nobre da Tapada de Mafra, no dia 27 de Junho,
os seus habituais prémios anuais, que premeiam
manchas e monteiros. O malogrado Pedro Reina,
de Beja, foi eleito o monteiro do ano.
Numa gala que reuniu praticamente uma centena
de comensais, entre sócios e familiares do clube
promotor, individualidades e convidados, entre eles
a presidente do ICNF (Instituto de Conservação da
Natureza e Florestas), Paula Sarmento, a presidente
da direcção da Tapada de Mafra, Alda Mesquita, o
presidente do Clube de Monteiros do Norte, Álvaro
Moreira, o presidente do SCI Lusitânia Chapter,
João Corceiro, entre outros, os prémios em questão
foram assim atribuídos:
Prémio Carlos Vacas de Carvalho, premiando a
matilha que mais se distinguiu ao longo da última
época venatória – Matilha Serra da Estrela,
propriedade de Vítor Santos e António Santos (pai
e filho).
Prémio Jorge Roque de Pinho, premiando a melhor
mancha de javalis – Mancha de Vale Cobrão, da
Companhia das Lezírias, em Alcochete. Prémio
entregue a Rui Alves, director da Companhia das
Lezírias.
Prémio Estêvão e Maria Adelaide Pape, premiando
a melhor mancha mista (javalis e veados) – Mancha
Maior, pela montaria realizada em Janeiro na ZC
Turística da Baliza.
Prémio Dr. António Salgado, premiando o melhor
monteiro do ano. O momento mais solene da noite.
O prémio distinguiu Pedro Reina, conhecido caçador
e monteiro de Beja, prematuramente desaparecido.
O prémio foi entregue, pelo presidente do CP de
Monteiros, Artur Torres Pereira, aos pais e esposa
do falecido.
O prémio Imagem Monteira do Ano não foi entregue
por não ter havido nomeados.
Como em anos anteriores, o armeiro SHF/Sportrofa
group fez a oferta ao CP de Monteiros de algumas
lembranças, distribuídas entre os presentes.
Clube Português de Monteiros
entregou prémios anuais
O malogrado Pedro Reina foi eleito o Monteiro do Ano