Página 37 - Turcaça 38 digital

Versão HTML básica

37
CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
da cinegética e/ou em formação,
Associações, Escolas de Ensino
Profissional, Institutos Politécnicos
e Universidades que nos últimos
anos têm disponibilizado formações
de vár ios t ipos, tais como:
- UFCD – Unidades de Formações
de Curta Duração (desenvolvidos
por diversas entidades, em regime
presencial e e-learning) Apresentam
formações que vão ao encontro de
determi nadas necess i dades
específicas laborais;
- Curso de Espec i a l i zação
Tecnológica (CET) em Gestão de
Recursos Cinegéticos e Aquícolas,
na Escola Superior Agrária de Beja
em parcer ia com a Escola
Profissional Comoiprel;
- Curso Profissional de Técnico de
Gestão Cinegét ica na Escola
Profissional ALSUD (Mértola),
Escola Profissional Comoiprel
(Moura) e Escola Profissional de
Desenvolvimento Rural de Alter-do-
chão
- Curso de Avaliação Sanitária de
Caça Maior, promovido pela -
UTAD.
- Pós-Graduação em Gestão
Sus t en t áve l dos Recu r sos
Cinegéticos e do Património Rural,
pela Universidade Aberta, em
regime de b-learning.
Indispensável ao setor da caça, a
formação procura cada vez mais
adoptar vias que estimulam a
criatividade e a operacionalidade
dos formandos. Nesse campo, a
formação profissional busca, através
de uma aprendizagem com grande
expressão na componente prática,
explorar as mais variadas formas
de rentabilizar explorações que
operam no ramo da cinegética,
demonstrando as mais-valias em
integrar sub-produtos provenientes
da gestão da caça. Hoje em dia é
de senso comum a procura por lazer
que envolve o contacto com a
natureza.
De f o rma a con f e r i r uma
componente prática na formação
que se traduza em experiências
laborais dos formandos, são cruciais
os protocolos estabelecidos entre
os estabelecimentos de ensino e
entidades do setor cinegético
(Zonas de Caça Turísticas e Zonas
de Caça Associativas), entidades
que t raba l ham em pro l da
conservação dos recursos naturais,
empresas de turismo e outras
ent idades, como os Parques
Naturais, protocolos esses que são
fundamentais para a aquisição de
múltiplas competências que um
técnico profissional deve possuir.
A (in)formação como veículo de
entendimento entre ambientalistas
e caçadores
O histórico recente sobre os moldes
como a caça decorr ia, com
mentalidades ainda deturpadas
sobre o direito da caça (em todo
seu conceito), teve influência a
vários níveis, dado que a certo
momento o entendimento pelos
conservacionistas sobre a atividade
cinegética originou contestações
sobre o efeito dessa atividade em
espécies em risco de extinção.
Entre os mais variados motivos de
redução do número de indivíduos
de certas espécies, as contestações
apon t adas aos caçado r es
afirmavam que esses retiram do
ecossistema indivíduos necessários
à permanência (sobrevivência) de
o u t r o s , e c o n t e s t a r am o
incumprimento da legislação por
parte de caçadores aos limites
impostos nos diplomas que
regulamentam a atividade, focando
também os caçadores furtivos que
quando têm possibilidade abatem
espécies que não podem ser