Página 38 - Turcaça 38 digital

Versão HTML básica

38
CONSERVAÇÃO DA NATUREZA
abatidas nem fora nem dentro do
período do venatório. Em resposta,
caçadores mostram-se distantes
dos “matadores” (caçadores
furtivos), deixando claro que o
caçador é um indivíduo que cumpre
todas as normas impostas e
promove o exercício da caça com
ética e prudência.
De forma a colmatar os efeitos de
uma a t i v i d a d e a i n d a em
crescimento e, por vezes, deficiente
quanto à aplicação de medidas
mitigadoras do seu impacto sobre
a biodiversidade, a sensibilização
ambiental desenvol v ida por
Organizações Não Governamentais
de Ambiente tem desempenhado
um importante papel, demonstrando
as diversas causas, efeitos e
cuidados a ter em atividades que
ocorrem em “habitat” naturais e que
de certa forma podem pôr em causa
a manutenção da biodiversidade.
É de tal modo coerente que
o r gan i zações em p r o l da
conservação da natureza e o setor
cinegético cooperem entre si que a
Liga para a Protecção da Natureza
(LPN), para além dos diversos
projectos de conservação que
promove em par cer i a com
organizações do setor da caça, criou
o Grupo Cinegética, através do qual
ambiciona estar mais próxima da
atividade cinegética, podendo assim
compreender melhor o fenómeno
e retirar ilações mais precisas.
A crescente (in)formação sobre a
atividade cinegética tem vindo a
possibilitar ummelhor conhecimento
desta por parte do público em geral,
bem como daqueles que atuam na
área. Entre outros fatores, ela tem
contribuído para que quer os
gestores de caça e os grupos de
caçadores, quer as organizações
ambientalistas tomem medidas, no
terreno, tendo em vista o objetivo
comum da sustentabilidade dos
recursos cinegéticos. Intuitivamente,
todos procuram proteger o
pat r imónio natural , do qual
desfrutam.
(artigo escrito ao abrigo do novo
acordo ortográfico)