Página 11 - Turcaça 39 digital

Versão HTML básica

11
CAÇA MENOR
s entradas de tordos em
Portugal, sobretudo na
região t ransmontana,
outrora com zonas fabulosas para
a caça a esta ave migratória, têm
decrescido nos últimos anos. As
razões científicas ainda não são
conhecidas, mas os caçadores vão
constatando que os “pássaros” que
fogem do frio da Escandinávia e da
Europa de Leste chegam emmenor
número, fazendo com que as
caçadas não tenham a mesma
regularidade e a mesma constância
de épocas ainda não mui to
distantes…
Na r e g i ã o d o No r d e s t e
Transmontano, o mês de Dezembro
último proporcionou, aqui e ali, de
acordo com os ecos que nos foram
chegando, boas jornadas de caça
aos tordos e com a chegada do
frio, na transição para 2015,
pensou-se que a época 2014/15
seria forte, após uma temporada
(2013/14) muito fraquinha… Os
caçadores estão ávidos de dar tiros,
face à escassez de perdizes e
coelhos-bravos, salvo raras
excepções de zonas de caça bem
geridas e onde se investe para
colher (…), e os armeiros, esses,
desejam sempre que o stock de
cartuchos se esgote…
É verdade que entraram alguns
tordos-ruivos, em áreas como
Izeda, Morais, Talhas, entre outras,
outrora o tordo que trazia a fartura
e marcava abundante presença nas
nossas zonas de caça quando as
regiões russas e ucranianas, por
exemplo, se cobriam de neve e de
gelo e o termómetro descia até
temperaturas quase insuportáveis,
e cobraram-se uns pássaros nas
primeiras jornadas de Janeiro.
Bons resultados em muitas áreas
de caça, associativas e municipais,
faziam sonhar com um mês em
cheio. Porém, e inexplicavelmente,
os tordos quase desapareceram no
segundo f im-de-semana de
Janeiro… Onde várias armas
chegaram ao limite, uma semana
depois cobraram-se meia dúzia de
tordos… Para onde foram?
Um grupo de amigos de Bragança,
do qual este vosso companheiro
também faz parte, constatou o
fenómeno numa zona de caça
municipal, no limite do concelho de
Bragança com o de Macedo de
Cavaleiros.
Fora dos lugares de eleição, já
preenchidos quando chegámos à
zona, pudemos testemunhar,
todavia, o abate de muitas aves,
no dia 4 de Janeiro, o primeiro
domingo do Ano Novo. Uma
semana mais tarde, fomos os
primeiros a chegar e ocupámos a
“linha da frente”… Mas os pássaros
não colaboraram… Já não
estavam… Para se ter uma ideia
As entradas de “pássaros” são cada vez mais diminutas
Caçadas aos tordos vão oscilando
Caçadas semelhantes
vão ser raras em 2014-15
Os companheiros de Bragança
numa manhã fria de Janeiro